Álvaro Parente à beira dos pontos

Álvaro Parente terminou a segunda corrida da ronda de Barcelona de GP2 Series no sétimo posto, cruzando a linha de meta a pressionar o sexto classificado, o último lugar com direito a pontos. Continuar a ler

Álvaro Parente regressa à GP2

2008 GP2 Series. Testing. Jerez, Spain. Wednesday 29th October.

Álvaro Parente irá regressar este fim-de-semana à GP2 Series, depois da Racing Engineering o ter convidado para defender as suas cores na ronda de Barcelona da categoria que se afirma como a antecâmara da Fórmula 1.

Continuar a ler

Análise ao fim-de-semana de Barcelona

01_APrente_Barcelona_05

Realizaste a melhor volta nos testes de Inverno realizados no Circuit de Catalunya no final de Março, mas no fim-de-semana passado parecia que o carro não estava tão competitivo. Como explicas esta quebra na performance no Dallara Renault Nº 25?
Álvaro Parente:
A pista estava mais lenta oito décimos de segundo que no teste do defeso, mas nós perdemos quase dois segundos, sem que percebêssemos porquê. Julgo que o calor terá tido um papel determinante para esta quebra de performance, mas precisamos analisar cuidadosamente a telemetria para compreendermos o que se passou e evitar que se repita um problema semelhante nas próximas corridas.

O incidente que te envolveu a ti e ao Lucas di Grassi acabou por colocar um ponto final na tua excelente recuperação e de te impedir de marcar os teus primeiros pontos no Campeonato. Podes explicar detalhadamente o que foi que se passou no calor da luta pelo sétimo posto?
Álvaro Parente:
Eu estava bastante mais rápido que ele (Lucas di Grassi) e tinha que o atacar, até porque eu também podia ser ultrapassado e tinha perdido um retrovisor. O Lucas di Grassi teve que abrir para deixar passar o Edoardo Mortara, deixando-me a porta aberta e eu tentei passá-lo. No entanto, ele é um piloto muito experiente, sabe defender-se muito bem e foi o que ele fez. Ele travou muito cedo e defendeu-se pelo interior, o que me surpreendeu e acabámos por nos tocar, terminando a nossa corrida na escapatória.

A Barwa Campos esteve muito competitiva ao longo de todo o fim-de-semana, esperavam que o Romain Grosjean e o Vitaly Petrov fossem tão rápidos? Pensas ser possível à Ocean Racing Technology recuperar o terreno para a equipa espanhola?
Álvaro Parente:
Nós sabíamos que a Barwa Campos seria muito forte, sobretudo com o Romain Grosjean, dado que já na temporada passada tinha sido muito competitiva com o Lucas di Grassi. O que não esperávamos era nós estarmos tão lentos. De facto, eles estão com um ritmo muito elevado, mas julgo que, se nos mantivermos unidos e trabalharmos afincadamente, poderemos tornar o nosso carro mais rápido.

Este não foi o início de temporada que ambicionavas, dado que abandonaste Barcelona sem qualquer ponto. Julgas ser-te ainda possível lutar pelos lugares cimeiros do Campeonato?
Álvaro Parente:
É claro que seria muito melhor se tivéssemos começado o Campeonato a vencer corridas, mas a época começou agora e temos muitas provas por realizar. Iniciei a temporada com o intuito de me bater pelas melhores posições do Campeonato, mas nunca esperei facilidades – o automobilismo não é assim, existem muitos factores em jogo, o que torna tudo muito complicado.
Eu e a Ocean Racing Technology vamos continuar a trabalhar e a dar o nosso máximo e espero que já na próxima etapa, a disputar no Mónaco, possamos reflectir o nosso esforço em resultados, dando início ao nosso Campeonato.

Álvaro Parente recupera bem

_O9T7930

Depois da desilusão de ontem, hoje, Álvaro Parente protagonizou uma boa prestação na segunda corrida de Barcelona, vendo a bandeirada de xadrez no décimo primeiro posto.

Uma vez mais a prova do piloto da Ocean Racing Technology não se afigurava fácil, dado que arrancava do décimo nono lugar da grelha de partida, cortesia do abandono de ontem, o que tornava quase impossível chegar ao sexto lugar e marcar os seus primeiros pontos da temporada. Para tornar tudo ainda mais difícil, o portuense sofreu uma luxação num dedo de uma mão no incidente de sábado, o que não facilitou a sua tarefa no cockpit do seu Dallara Renault.

A corrida disputada esta manhã no Circuit de Catalunya até começou bem para o português, que terminou a primeira volta no décimo terceiro posto, mas a sua recuperação não iria muito mais além.

Álvaro Parente tentou pressionar de todas as formas Diego Nunes e Lucas di Grassi, mas os brasileiros defenderam-se sempre muito bem, não cedendo aos intentos do jovem português. “Tudo tentei para passar os pilotos que estavam à minha frente, mas faltava-me um pouco de andamento para concretizar a ultrapassagem. Acabei por rodar o resto da corrida sempre atrás de um deles”, reconheceu o jovem patrocinado pela Soccerade, Delta, TMN, Aurora Group, Geotur e Cision que terminou no décimo primeiro lugar, após piões de Sergio Perez e de Nico Hulkenberg.

O piloto do Porto concluiu com a primeira ronda da temporada deste ano de GP2 sem qualquer ponto, mas mostrou que tem ritmo para se bater pelos primeiros lugares, apontando como objectivo obter bons resultados já na próxima ronda da época, a disputar dentro de duas semanas nas ruas do Principado. “Esta foi uma prova que correu mal, muito embora tenhamos exibido um bom andamento. Estou ansioso pelo próximo fim-de-semana, espero que no Mónaco possamos concretizar o ritmo que demonstrámos aqui em bons resultados de modo a poder marcar pontos para Campeonato”, apontou o piloto vinte quatro e anos profundamente motivado, apesar das contrariedades de Barcelona.

Álvaro Parente na 11ª Posição na 2ª Corrida

IMG_1286

Acabou há momentos a 2ª corrida em Barcelona: o Álvaro terminou na 11ª posição. Tendo partido de 19º realizou um exelente arranque passando para 13º ao final da primeira volta.

Depois ficou atrás de um grupo liderado por Di Grassi acabando por ficar preso atrás dele, mas ainda logrou subir 2 posições devido a um erro de Sergio Pérez e mais tarde de Hulkenberg.

A corrida foi ganha por Edoardo Mortara, com Romain Grosejan em 2º e D’Ambrósio em 3º

Termina assim a ronda em Barcelona, daqui a duas semanas será no Mónaco.

Mais informações assim que possível.

Corrida de antologia termina num toque

_O9T7088

Álvaro Parente foi um dos grandes animadores da primeira corrida da temporada de GP2, disputada hoje no Circuit de Barcelona, abandonando devido a um toque, depois de uma prova emocionante em que chegou a lutar pelo sétimo posto.

A arrancar do décimo quarto lugar da grelha de partida, só uma corrida de antologia permitiria ao jovem do Porto bater-se pelas posições pontuáveis e foi a isso que assistiu logo desde que as luzes dos semáforos se apagaram.

O piloto da Ocean Racing Technology no final da primeira volta era já o nono classificado e, pouco momentos depois, ultrapassaria Roldan Rodriguez numa manobra cheia de raça, assumindo o último lugar dos pontos. Este era o início de prova extraordinário que abria boas perspectivas a Álvaro Parente. “Arranquei muito bem e o carro estava mais eficaz que ontem, o que me permitiu atacar logo nos primeiros instantes. Quando o Rodriguez abriu a trajectória não hesitei e ultrapassei-o, subindo ao oitavo posto”, afirmou o português.

Álvaro Parente passou a acompanhar o grupo de pilotos liderado por Lucas di Grassi, que ocupava a quinta posição, o que lhe permitia acalentar a esperança de subir ainda alguns lugares ao longo da corrida. Com as paragens nas boxes, o piloto de vinte e quatro anos caiu para a nona posição, novamente atrás de Roldan Rodriguez. O espanhol seria, uma vez mais, uma presa fácil para o português, que o ultrapassaria por fora na travagem para a Curva 1 quando estavam decorridas vinte e três voltas.

O objectivo de Álvaro Parente passou a ser Diego Nunes que estava imediatamente à sua frente. Porém, o jovem do Porto teria que ser vergar perante Pastor Maldonado que, num dos carros da ART calçado com pneus fresco, voava no traçado catalão sendo impossível ao piloto da Ocean Racing Technology defender o seu oitavo posto.

Ainda assim, o português não baixou os braços e passou a atacar Diego Nunes, acabando por o ultrapassar na trigésima primeira volta. Edoardo Mortara e Lucas di Grassi estavam alcance de Álvaro Parente mas, no calor da luta, o jovem da Ocean Racing Technology acabou por se envolver num toque com o brasileiro, ditando o abandono dos dois quando disputavam o sétimo posto. “Foi uma pena o que aconteceu. Estávamos todos a lutar intensamente pelas posições e, como tinha perdido um dos retrovisores, tive que atacar porque não sabia se o Diego Nunes estava em posição de me ultrapassar. O carro escorregou um pouco e acabei por tocar no Lucas di Grassi e a nossa corrida acabou imediatamente. Estou triste porque poderia ter marcado alguns pontos e garantir um bom lugar na grelha de partida da corrida de amanhã”, sublinhou o piloto português claramente desolado com o acontecido.

Para a prova de domingo, Álvaro Parente irá arrancar do décimo nono lugar da grelha de partida, o que dificulta a possibilidade de chegar aos pontos. Mas o piloto do Porto irá uma vez mais dar o seu melhor para alcançar uma posição digna do seu talento. “Amanhã teremos uma corrida muito complicada mas, como sempre, vou atacar ao máximo para tentar conquistar um bom resultado”, salientou o jovem da Ocean Racing Tecnhology.

A segunda corrida da temporada terá o seu início às 09h30, hora de Lisboa, e será transmitida em directo pela Sport TV2.

Barcelona – Corrida 1

Ainda com os nervos à flor da pele, mas… aqui vai.

Álvaro Parente terminou a sua primeira corrida da GP2 Main Series 2009 com uma desistência, após acidente com Lucas diGrassi, quando lutava pela 6ª posição. O piloto fez um excelente arranque, saltando rapidamente para o nono lugar, na primeira volta. Depois de uma excelente ultrapassagem, passou para oitavo. Com as paragens nas boxes, perdeu uma posição, que recuperou com uma fabulosa ultrapassagem por fora, na primeira curva do circuito.

Depois de ser ultrapassado por um Maldonado rapidíssimo e muito agressivo, partiu também ao ataque e, na luta quente que ia havendo naquele grupo, acabou por bater contra Lucas diGrassi, enquanto este era ultrapassado por outro piloto, que vinha em luta com Álvaro Parente. Terminaram os dois as suas corridas ali.

Karun Chandhok também desistiu, mas este por erro e despiste.

Negativo: Álvaro e Karun largarão das últimas posições (19º e 21º, respectivamente) para a corrida de amanhã, mais curta e onde apenas os 6 primeiros pontuam.

Positivo: Álvaro Parente demonstrou uma vez mais a sua classe, levando o carro da equipa estreante portuguesa às primeiras posições, fazendo dele um dos mais fortes em pista. Fez, também, as melhores ultrapassagens da corrida.

A sprint race será amanhã, às9h30 de Lisboa.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 32 outros seguidores