4º lugar premeia mais uma boa exibição

09AParente_Algarve_05

Álvaro Parente terminou a ronda de GP2 do Autódromo Internacional do Algarve em alta, ao cruzar a meta na quarta posição depois de ter arrancado do décimo sexto lugar, oferecendo ao muito público presente nas bancadas alguns motivos para celebrar.

A corrida de hoje iniciou-se de uma forma dramática, com Michael Herck a não conseguir evitar Vitaly Petrov, que não conseguiu arrancar, precipitando a interrupção imediata da prova. Sem se envolver qualquer incidente, o piloto português tinha já subido duas posições.

No reinício da corrida, o jovem da Ocean Racing Technology manteve a sua posição, tendo subido uma posição depois de uma ultrapassagem plena de oportunidade quando estavam decorridas quatro voltas. Três passagens pela meta mais tarde, seis pilotos seriam penalizados com um drive-through, dado terem ultrapassado o Safety-Car quando este se encaminhava para as boxes, o que permitiu a Álvaro Parente atacar o quarto lugar de Dani Clos. “O arranque foi muito confuso, com carros a realizar ultrapassagens com o Safety-Car em pista, o que tornou o início muito atribulado. Depois do reinício ataquei o mais que pude e realizei algumas ultrapassagens o que, juntamente com as penalizações, me permitiu subir ao quinto lugar. Terminei a pressionar o Dani Clos, mas não tinha velocidade de ponta para o passar, mas um quinto lugar, depois de ter arrancado do décimo sexto posto, é um bom resultado”, frisou o piloto de vinte e quatro anos que subiria ao quarto lugar, depois da penalização de vinte e cinco segundos de que Sergio Perez foi alvo por ter ultrapassado com bandeiras amarelas.

Após as dificuldades por que passou Álvaro Parente nos dois primeiros dias do evento português, o quarto lugar de hoje acaba por ser uma boa forma de terminar o campeonato deste ano e de premiar os muitos adeptos que se deslocaram ao circuito situado nos arredores de Portimão. “Foi um fim-de-semana difícil com os problemas técnicos de sexta-feira e o incidente de ontem. Queria oferecer um bom resultado ao público que marcou presença aqui no Autódromo Internacional do Algarve, o ideal seria uma vitória. Mas atendendo às circunstâncias que nos afectaram ao longo de todo o evento, este quarto lugar foi positivo e é uma boa forma de terminar a temporada”, concluiu o piloto apoiado pela Delta, TMN, Aurora Group, Geotur/Star e Cision.

Após uma temporada difícil mas em que demonstrou todo o seu valor, Álvaro Parente registou uma brilhante vitória em Spa-Francorchamps, somando trinta pontos na sua caminhada até ao oitavo posto do Campeonato de Pilotos. Agora, o português irá trabalhar intensamente com a equipa que gere a sua carreira de modo a subir à Fórmula 1, podendo testar num dos carros mais rápidos do planeta já em Dezembro.

Mais uma grande exibição de Álvaro

imagem098a

Mais uma vez Álvaro Parente fez uma vistosa corrida, arrancando do 16º lugar, conseguindo algumas ultrapassagens e beneficiando de inúmeras penalizações sofridas por vários pilotos, por terem ultrapassado com o Safety Car em pista, terminou no 5º posto, conseguindo assim mais dois pontos.

Foi uma corrida com um início atribulado, pois Petrov fallhou o arranque e Michael Herck enfaixou-se na traseira do russo tendo provocado uma suspensão da corrida.

Termina assim a temporada de GP2 e o nosso desejo é que esta tenha sido a ultima participação do Álvaro nae GP2, pois a Formula 1 chama por ele.

Mais informações assim que possível.

ACTUALIZAÇÃO: Devido à penalização de Sergio Perez, o Álvaro subiu à quarta posição na segunda corrida em Portimão.

Recuperação fulgurante termina em abandono

09AParente_Algarve_03

Álvaro Parente foi, uma vez mais, um dos grandes protagonistas do pelotão de GP2, tendo recuperado até ao nono posto, depois de arrancar do vigésimo quarto posto da grelha de partida. No entanto, devido a um incidente com outro piloto, a boa performance do português não foi premiada com um bom resultado na primeira corrida do Autódromo Internacional do Algarve da categoria que antecede a Fórmula 1.

O piloto da Ocean Racing Technology demonstrou, novamente, a sua fibra de campeão e protagonizou uma recuperação fulgurante desde a última posição da grelha de partida, apesar de um problema mecânico na qualificação de ontem o ter impedido de realizar uma volta lançada e de desenvolver a afinação do seu carro convenientemente para a prova de hoje.

Quando o oitavo estava claramente ao seu alcance, um desentendimento com Sergio Perez, de quem defendia legitimamente a sua posição, acabou por colocar um ponto final na sua corrida. “A corrida correu-me bem no início e pude recuperar muitos lugares, o que me permitiu alcançar o nono posto que, na verdade, se transformaria no oitavo, assim que o Razia parasse para realizar a sua troca de pneus”, começou por dizer Álvaro Parente que continuou: “Porém, quando o Dani Clos fez o seu pião na última curva, que se faz a fundo, tive que travar para o evitar e o Sergio Perez colocou-se ao meu lado. Ele ficou por dentro na primeira curva, mas na segunda era eu que tinha a trajectória e não levantei o pé. Tocámo-nos e acabámos por abandonar os dois. É pena porque amanhã podia arrancar da pole-position mas ele tinha espaço e eu já estava em cima do corrector, e estava em posição de defender a minha posição. Foi um acidente de corrida e eu voltava a agir da mesma forma”.

Com o abandono de hoje, o piloto apoiado pela Delta, TMN, Aurora Group, Geotur/Star e Cision arrancará para a prova de amanhã do meio do pelotão, tornando difícil que termine numa posição pontuável. Ainda assim, o jovem de vinte e quatro anos não desiste de se bater por um bom resultado para oferecer aos adeptos portugueses. “A corrida de amanhã será difícil, dado que vou arrancar do décimo sétimo lugar. Vou lutar para subir na classificação para alcançar uma boa classificação, mas a prova de amanhã é mais curta e, com todos os pilotos a usarem pneus novos, é mais complicado ganhar posições”, concluiu o jovem de vinte e quatro anos.

Apesar da sua desistência na corrida de hoje, nem tudo foi mau para Álvaro Parente, tendo recebido um espectacular relógio. O representante exclusivo da Hublot para Angola, Rui Alvim de Faria, demonstrou-se bastante orgulhoso por poder oferecer ao piloto português o relógio Big Bang Euro 2008 – uma edição limitada avaliada em cerca de vinte e cinco mil euros.

Rui Alvim de Faria é um adepto incondicional do vencedor da primeira corrida de GP2 de Spa-Francorchamps deste ano e assegura que tudo fará para o ajudar a progredir na sua carreira. “O Álvaro é um sobredotado que me lembra o Ayrton Senna. Queremos estar presentes na sua carreira e ajudá-lo a subir à Fórmula 1, para isso, a AdFPR (n.d.r.: a empresa de Rui Alvim de Faria) está em negociações com a Hublot para que ele seja apoiado pela relojoeira suíça em 2010”, revelou o representante da marca suíça para Angola.

Parente termina a 1ª corrida de forma inglória

Depois de uma excelente recuperação, ao nível daquelas a que nos tem habituado, Álvaro Parente desistiu após uma disputa de posição com Sergio Perez, na 1ª curva. Parente vinha a fazer uma grande corrida ultrapassando vários adversários, encontrava-se em 9º lugar, sendo possível chegar  aos pontos, mas infelizmente desistiu.

Mais informações assim que possível.

Caixa trai Álvaro Parente

9234_101934086489209_100000178549600_56391_1992645_n

O fim-de-semana de Álvaro Parente não podia começar da pior forma, dado que um problema electrónico impediu-o de realizar qualquer volta lançada na qualificação para a primeira corrida de GP2 de Portimão, o que o obriga a sair da última posição da grelha de partida.

O dia começou com chuva, obrigando todos os pilotos a contactar pela primeira vez com o traçado português com pneus de chuva montados nos seus carros. O português, sempre muito à vontade com a pista molhada, rodou continuamente entre os primeiros e só no final da primeira sessão de treinos-livres, com o asfalto a secar, caiu para o décimo segundo posto da tabela de tempo.

Na segunda bateria de treinos-livres, que permitiu a montagem de pneumáticos para seco, o jovem de vinte e quatro alcançou o sétimo registo, o que lhe abria boas perspectivas para a qualificação. No entanto, na sessão que definiu a grelha de partida para a corrida de amanhã a sorte foi madrasta para Álvaro Parente: o piloto do Porto completou apenas duas voltas a baixa velocidade, devido a um problema electrónico que bloqueou o caixa de velocidades do carro da Ocean Racing Technology na segunda relação, obrigando-o a arrancar amanhã do último lugar. “Não há muito a dizer sobre esta qualificação! Tive problemas técnicos no carro e não pude efectuar qualquer volta lançada. Pior era difícil!”, afirmou desapontado o português que pretendia oferecer aos adeptos portugueses um bom resultado já na qualificação de hoje.

Com os problemas desta sexta-feira, todo o fim-de-semana fica comprometido mas, com a tenacidade que lhe é reconhecida, Álvaro Parente mantém-se motivado e assegura que dará o seu melhor para alcançar um resultado que permita ao público luso ter algo para celebrar. “A corrida de amanhã será muito difícil, dado que vou arrancar de último. No entanto, como é habitual vou dar o meu máximo e lutar afincadamente para terminar numa posição que espelhe o andamento que tenho demonstrado ao longo de todo o campeonato”, concluiu com motivação o jovem português apoiado pela Delta, TMN, Aurora Group, Geotur/Star e Cision.

A corrida de amanhã terá o seu início às 14 horas locais, esperando-se que o público português se desloque em massa ao Autódromo Internacional do Algarve para apoiar Álvaro Parente – o piloto português que está a um passo de dar o salto para a Fórmula 1.

Álvaro Parente quer premiar adeptos lusos

09AParente_Algarve_01

A temporada de GP2 Series irá terminar no próximo fim-de-semana no Autódromo Internacional do Algarve, o que oferece a Álvaro Parente a possibilidade de terminar a sua época em alta frente ao público português. Continuar a ler

Corrida de risco para Álvaro Parente

08AParente_Monza_04

Após a extraordinária exibição de ontem, que o guindou até ao terceiro lugar, a corrida de Álvaro Parente deste domingo ficou marcada pelas penalizações de que foi alvo no sábado, acabando por abandonar a segunda prova de GP2 do programa do Grande Prémio de Fórmula 1 de Itália. Continuar a ler

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 32 outros seguidores