Entrevista de Pedro Santos à Rádio Telefonia do Alentejo

Em entrevista à Rádio Telefonia do Alentejo, no programa “16 Válvulas“, gentilmente cedida pelo blog de mesmo nome ao qual desde já agradecemos, Pedro Moreira dos Santos esclarece alguns pontos da época de Álvaro Parente, e fala também da realidade portuguesa do automobilismo.

O empresário do portuense considerou que este ano “foi de grande experiência para o Álvaro, onde ficou a preceber o que é a categoria e os grandes pilotos que aqui correm.”

Em relação à escolha da equipa para este primeiro ano na antecâmera da Fórmula 1, Pedro Santos diz que “só haviam quatro equipas para escolher e esta era a melhor!”

Pedro Santos refere que o talento de Álvaro Parente foi bem visível este ano, sobretudo na corrida de Barceona, onde venceu e bateu um recorde, e nos circuitos citadino, como o Mónaco onde conseguiu um pódio. Também refere o grande desepenho que Parente teve à chuva.

Na opinião do manager de Parente, “a época foi condicionada pelos treinos livres, onde os erros da equipa obrigaram o Álvaro a partir quase sempre de 13º e 14º lugares. Quando ele se classificava no ‘top-10′ ía sempre ao pódio. Muitas das vezes o Álvaro passava as corridas a fazer recuperações.”

Questionado sobre o facto de o Álvaro se mudar no meio do ano para outra equipa, visto que os erros da equipa inglesa era frequentes, Pedro Santos responde que “se tirássemos o Álvaro de lá tinhamos de arranjar uma equipa para o pôr a correr na GP2, o que não é fácil, tínhamos de arranjar um piloto com o dinheiro do Álvaro para ficar no lugar dele na Super Nova, pois somos responsáveis.”

No que toca aos patrocínios, a época foi feita com o apoio da Delta (portuguesa) e a Soccerade (estrangeira). “A Soccerade era o primeiro ano que queria investir no automobilismo e queria um piloto bom em quem apostar. Eles estiveram presentes no teste do Álvaro com a Reanult e foi aí que surgiram as conversações.”

Na opinião do gestor da carreira do melhor piloto português da actualidade, “o facto de não haver mais apoios é devido à falta da divulgação da GP2. Os portugueses que gostam e acompanham automobilismo sabem o que é; a maioria dos portugueses sabe o que é a Fórmula 1 e os Rally’s, nada mais. Quando se fala em GP2, perguntam logo se irá haver cá em Portugal.”

Quando Pedro Santos fala em GP2 Series em Portugal, a pergunta se o campeonato irá passar por cá é inevitável. “Sim, confirmo que irá passar por cá. Será a última prova do campeonato.”

Para tema final de conversa nada melhor que falar no futuro de Álvaro Parente. “Estamos a trabalhar para para o Álvaro ficar mais um ano, ser campeão e em 2010 estar na Fórmula 1.”

Álvaro Parente já tinha dito em directo, numa entrevista ao 16 Válvulas, que não pretendia renovar com a equipa inglesa. Pedro Santos confirma. “A Super Nova quer manter o Álvaro a todo o custo, mas  há convistes de grandes equipas e algumas até querem construir projectos em volta do Álvaro!” Acrescenta ainda que “há grandes hipóteses de ser uma grande equipa, mas falta arranjar dinheiro.” Concluíndo que “em principio deve ser espanhola!”

No que toca à GP2 Ásia, diz que “só é importante para conhecer como a equipa, mecânicos e engenheiros trabalham. Pudemos dizer que é crucial no primeiro ano de GP2, mas no segundo já não.
Finaliza dizendo que “há projectos de equipas para o Álvaro com a GP2 Ásia e GP2 Series, outras só com GP2 Series.”

Entrevista publicada no blog 16 Válvulas.
Advertisements

4 Respostas

  1. Já há apostas em como é a Campos .Mais palpites?

    Gonçalo Sousa Cabral
    http://www.16valvulas.wordpress.com

  2. Eu penso que há várias boas possibilidades para o Álvaro. Falando apenas nas equipas espanholas tanto a campos como a racing engineering apresentam boas credenciais.
    Na campos é provável que saia o di grassi (penso que o piloto da gp2 melhor preparado para a F1, não necessariamente o de melhor talento) e na racing engineering é provável que saia o pantano (que não deve ir para a F1 mas acredito que não vá fazer outro campeonato gp2).
    Há outras boas equipas que poderiam dar ao Álvaro um carro para ganhar mas nunca seriam projectos quase só dedicados ao Álvaro, tais como a Art (tem Grosjean, piloto protegido da Renault) ou a Isports (mesmo que saia o Senna fica o Chandok que tem muito dinheiro em patrocínios) por isso mesmo penso que as equipas espanholas sejam as melhores hipóteses para o nosso piloto. Outra boa equipa seria a Piquet Sports mas acredito que não vá mudar os pilotos.
    Não digo que seja essencial mas penso que se o Álvaro puder fazer o gp2asia era bem melhor do que estar parado. Então se puder trabalhar já com a nova equipa melhor. Começavam-se a criar melhores rotinas desde cedo e conheciam-se mais cedo que poderá ser muito bom para a próxima época.
    Espero que tudo corra pelo melhor e aguardo novidades.

    Cumprimentos

  3. São de facto boas notícias para o Álvaro, é importante que ele assegure um lugar numa equipa de ponta na GP2, e a campos seria talvez o melhor lugar para o Álvaro.
    Resta-nos esperar por mais novidadades.
    Boa sorte Álvaro!!!

  4. Eu digo que ele vai substituir o Pantano. Mas também não estou a ver o Pantano sair da GP2 e ir para a F1…

    Veremos…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: