Respostas de Pedro M. Santos

O manager do Álvaro Parente volta a brindar-nos com a sua rapidez e disponibilidade, respondendo a todas as perguntas feitas. As perguntas dirigidas ao “Varinho” poderão demorar mais algum tempo a ser respondidas, mas serão também aqui divulgadas.

– Como estamos de apoios monetários portugueses para a mudança de equipa? Algum grande patrocínio em perspectiva? (Gonçalo Sousa Cabral)

Caro Gonçalo:

Não posso deixar de lhe dar os parabéns pela forma como vive o desporto automóvel e pelo programa que assina.

Quanto à questão que me coloca, posso lhe dizer que, na semana passada, tivemos uma boa notícia que espero que se concretize rapidamente. Será muito bom para o Álvaro, principalmente em termos de notoriedade. Ainda não temos o budget fechado mas estamos a trabalhar diariamente para isso acontecer rapidamente.

Um grande abraço para Évora.

– Não somos um país com um mercado muito apetecível em termos de publicidade. País periférico no contexto Europeu, com uma dimensão populacional superior à Suécia, Suíça, Irlanda, Dinamarca, Finlândia mas com uma riqueza bruta muito abaixo destes, fica a sensação de que os valores necessários para colocar um piloto Português na F1 são demasiados para a carteira dos empresários Portugueses, mesmo que alguns deles tenham interesses em várias partes da Europa e mesmo do Mundo.

Achas que as empresas Portuguesas não conseguem ver para além do próprio umbigo e compreender as capacidades publicitárias, mediáticas e de oportunidades de negocio que a “colagem” a um piloto de automobilismo, de preferência na F1, possam trazer?
Como convences uma empresa de que apostar no Álvaro lhe trará maiores proveitos comerciais no fim do ano? (Hugo Ribeiro)

Olá Hugo,

Vejo poucas empresas portuguesas com capacidade e interesse estratégico para estar na F1. No entanto na GP2, já acho precisamente o contrário. Estamos a falar de uma classe que por exemplo, na Venezuela e por causa do Pastor Maldonado, é tão ou mais seguida que a F1. A GP2 permite ás empresas estarem associadas de alguma forma à F1, a jovens talentos, à alta competição e alta tecnologia, ao profissionalismo, ao rigor, à ambição, ao sucesso, à alegria, à celebração, etc. Permite que estejamos todos a sonhar, comentar, apoiar e vibrar com os resultados de um jovem desportista português.

Há grandes oportunidades neste tipo de projectos: o investimento é perfeitamente suportável (comparado com muitas outras competições automóveis), o risco é pequeno (o Álvaro não fazendo F1 tem ainda muitos anos de competição ao mais alto nível pela frente) e os ganhos potenciais são gigantescos:

– Comunicar as vitórias de Álvaro / sucesso desportivo

– Se o Álvaro aceder à F1 em condições únicas na história automobilística nacional, as empresas que estiveram associadas na GP2 podem utilizar esses direitos de imagem de um piloto, agora na F1 por valores de GP2.

– Primeiro português na GP2

– Ligação emocional ao piloto português mais promissor da actualidade

Quanto a convencer uma empresa a apostar no Álvaro, não gosto de usar essa palavra pois, nunca apresentamos um projecto fechado aos nossos parceiros, queremos sempre criar oportunidade de negócio para esses parceiros, rentabilizar o seu investimento e ir de encontro à sua estratégia. Como sabes, os patrocínios podem-se classificar de:

– Patrocínio de notoriedade: aumentar a visibilidade da marca;

– Patrocínio de imagem: constituir ou personalizar a marca através de uma ligação forte entre o endossado e a marca;

– Patrocínio de credibilidade: é essencial para o seu negócio.

Para o primeiro caso podemos considerar uma marca que se queira dar a conhecer: seja recente no mercado, tenha efectuado um re-branding, lançado nova gama de produtos, etc;

No segundo caso podemos referir as marcas que querem reforçar/ transmitir alguns dos valores inerentes à competição automóvel e à ligação a um jovem desportista. Cafés, marcas de roupa, luxo etc

No 3ª caso, podemos referir as marcas ligadas ao sector automóvel, desporto, etc.

Uma marca, ao apoiar o Álvaro, pode no entanto se englobar nas 3 categorias. Veja o caso da Soccerade que necessitava de se dar a conhecer mas também se associar claramente aos valores de um desportista de alta competição como o caso do Álvaro e Cristiano Ronaldo.

No caso do Álvaro há ainda um facto que me parece evidente: ele é um talento e a marca ao apostar nele, fecha a entrada a possíveis concorrentes. Já pensou o que era o Álvaro entrar na F1 apoiado por uma empresa estrangeira concorrente directa de uma portuguesa, numa área de negócio essencial?

Com isto quero dizer que nem sempre o objectivo de apoiar um piloto como o Álvaro tenha de ter proveitos comerciais, pelo menos tão imediatos como refere. No entanto, esses resultados comerciais podem advir rapidamente, não tanto do patrocínio mas sim da sua activação, ao se desenvolver acções em conjunto com as marcas, Álvaro e outros intervenientes que incentivem a compra.

Espero ter respondido, apesar de não me poder alongar muito mais.

Obrigado

– Pelo que percebi o Álvaro não vai começar o gp2asia mas há hipótese de fazer alguma(s) prova(s) dessa competição já com a nova equipa? (Fernando Madeira)

A GP2 Asia está fora de questão pelos valores envolvidos. Acredito que seria importante para o Álvaro participar na Ásia Series, não pelo carro em si, mas principalmente, pela ligação com a equipa e engenheiros.

Ninguém pode negar que estar dentro de um carro de competição, competir com a maioria dos adversários da main series e principalmente, estreitar a ligação com o engenheiro, não sejam benéficos para a Main Series. Eu sinceramente acredito que é bastante importante, razão pela qual eu considero Álvaro Parente o melhor rookie em detrimento do Grojean que fez a Ásia com a mesma equipa e mesmo engenheiro.

Como sempre disse, o Álvaro tem de ser 2x melhor que os restantes para ter os mesmos resultados.

– Se me permitem mais uma questão gostava de saber se já houve convites para ser piloto de testes de Fórmula 1 na próxima época? Se sim, de que equipas (se puderem divulgar)? (Fernando Madeira)

– Poderemos ver o Álvaro no próximo ano como piloto de testes de uma equipa de F1? É possível isso acontecer? (Diogo Guilherme)

Olá Fernando e Diogo,

Há conversas mas parece-me que está tudo muito confuso e sinceramente creio que após o resultado do campeonato de GP2 ficamos com 3 excelentes candidatos a piloto de testes (Pantano, Senna e Grojean). Após um ano de imprensa onde eram apontados como pilotos de F1 em 2009 (Senna e Groejan), parece-me que terão de recorrer ao plano B, ainda que envolva bastante dinheiro. O caso do Pantano é mais evidente: ou testes ou USA.

No entanto, ainda o “carrossel” vai a meio e estamos atentos a todas as oportunidades que forem surgindo.

Um abraço

– O Nelsinho Piquet esteve muito mal em Singapura,pois destruiu o carro, o que não lhe abona nada de bom no seio da Renault.Tendo o Alvaro feito um excelente texte na Renault, seria descapido, tentar colocá-lo na Renault para fazer estes ultimos grandes premios?Pois seria uma grande oportunidade para 2009, ou preferem fazer tudo com mais calma, e com tempo ? Ou esse mundo e extremamente dificil e as oportunidades nao surgem assim?Para quando o anuncio da nova equipa da gp2?O Alvaro vai fazer algumas provas da Gp Asia esta epoca? O Álvaro irá tambem tentar conciliar um lugar na gp2, com piloto de testes numa equipa de f1? (José Neves)

Olá José,

Respondo só à questão da Renault e da equipa de GP2 pois as outras, creio já ter respondido anteriormente.

O Álvaro não fez um bom teste na Renault. Pelo que sei de fontes muito seguras e bem colocadas, fez sim, um teste brilhante só comparável ao efectuado pelo Kubica. Nós sabemos que isso infelizmente não chega (o Kubica também não ficou na Renault) e que a F1 não está, na sua totalidade, preenchida com os melhores pilotos do mundo. A Renault tem o seu programa de desenvolvimentos de pilotos preenchido por Grojean, Di Grassi e até ao inicio do campeonato de GP2, pelo Ben Hanley, Neste momento restam esses 2 e o Piquet. Parece-me que o Di Grassi irá para o lugar do Piquet, tendo algumas dúvidas em relação ao Piquet e principalmente ao Grojean, dado que também se diz que não irá repetir a GP2. Abre-se assim uma vaga para testes, vaga essa que foi utilizada pelo Grojean em 2008. Vamos aproveitar se for benéfico para o Álvaro.

Acredito verdadeiramente que se o Álvaro fizer novamente um teste de F1, fica. Esperemos que o consiga fazer rapidamente.

– Revelou recentemente que a Soccerade e a Delta vão manter o patrocinio ao Alvaro. Está previsto mais algum investimento? Se sim, e se puder revelar, quais as empresas que estão interessadas em patrocinar o Alvaro? (Tomás Durão)

Olá Tomás,

Vai haver uma boa surpresa mas neste momento não posso revelar mais nada.

– Está previsto mais algum teste com a renault ?
Há alguma previsão de quando será anunciado o projecto para 2009 ?
Para alem da Renault, já outras equipas de f1 demonstraram interesse no AP ? nao é necessário mencionar nomes (Quark)

Olá Quark,

Há muitas equipas de F1 que seguem o Álvaro. Todos os Team Managers da GP2 tem bons contactos na F1 e são eles que transmitem a informação às equipas de F1. Mas não tenhamos duvidas, na GP2 não basta ser bom, é necessário ser muito melhor que os outros e mostrar isso na classificação.

Quanto ao anúncio do projecto, queremos faze-lo o mais rapidamente possível mas temos de aguardar a resposta a algumas propostas, bem como orçamento de equipas que ainda não estão 100% definidos para a Main Series.

– Pergunto de que forma(s) podem os apoiantes do Álvaro contribuir para que ele receba os apoios que merece e necessita. Que iniciativas podemos tomar e que empresas podiam ser alvo de um ‘ataque’ dos ‘Alvaristas’ de forma a perceberem o potencial do piloto (e refiro-me aqui ao potencial em retorno financeiro) ? (Cadaval)

Caro Cadaval:

Recentemente numa reunião que tive numa grande empresa, referiram-me o facto de alguns fãs se terem unido para criarem um blog para o Álvaro. Também referiu com algum espanto o grande número de comentários que o Álvaro tem no Autosport.pt.

Uma televisão recebeu o maior número de reclamações por não ter dado a notícia da vitória do Álvaro em Barcelona.

A vossa força é questionar as pessoas sobre o Álvaro, serem activos. Acredite que o impacto é grande.

– As noticias sobre o Álvaro são dificeis de entender, já parece um caso Alonso:passo a explicar. Em primeiro lugar, o Sr Pedro M. dos Santos dizia que a melhor equipa de Gp2 era a Campos. Mas o Álvaro agora vai textar pela Racing Engenerig.

O que se passa é o seguinte, segundo o site Brasileiro(Grande Premio) a campos quer entrar na f1 já no próximo ano e se Parente lá estivesse poderia lá ficar e dar continuidade a um projecto. Agora se vai para a racing Engineering, vamos ver. Pois o Bruno Senna esta a negociar com a Toro Rosso, e Honda , e do Álvaro nada.

Aquela Super Nova que se dizia que era boa, deu cabo da imagem campeã do Álvaro. O Álvaro parece não ter força para negociar junto das equipas.Então o Bruno ainda não ganhou nada e é assim; o Álvaro já ganhou tanta coisa e nada. Algo está mal,as coisas não evoluem de uma semana para a outra,temo que a montanha vá parir um rato. Agora e o Di Grassi que vai substituir o Piquet. Tem que ser mais perseverantes senão ficam para trás, pois a f1 ou gp2 parece ser uma selva. Fico na esperança que o Álvaro consiga alguma coisa, senão de facto é uma grande frustração, pois não se sabe nada de novo, nem nada concreto, vamos alimentando esperanças,so que depois aborrece. O Blog leva tempo a dar qualquer noticia concreta, e os outros orgãos é do tipo. O Álvaro está á espera de completar os patrocinios. E então os titulos do Álvaro não valem nada? Bolas é demais. 1 abraço (José Neves)

Olá José,

Em 2008 acredito sinceramente que a Campos foi a melhor equipa. Andaram sempre nos primeiros e os resultados do Di Grassi no regresso à GP2 são prova disso mesmo, para não falar no caso do Petrov. Ser a melhor equipa não significa que seja a melhor opção para 2009. Há muitos factores envolvidos (budget, projecto, permanência dos pilotos, etc) que fazem esse ser uma hipótese viável ou não. Aliás, basta mudar o engenheiro principal para tudo mudar de figura rapidamente.

Quanto ao negociar com a Honda/Toro Rosso, lembro que o Senna foi 2º classificado no campeonato, tem 2 anos de GP2 e um grande apoio chamado Santander. Se o Álvaro fosse indiano, japonês, sul-americano, francês, inglês e espanhol certamente teria tido outra sorte. A carreira do Álvaro é igual à do Kubica (pelos apoios e forma de aceder à F1) só que o Álvaro venceu a F3 inglesa e não testou um F1 e o Kubica venceu a WSR e testou. Agora resta ao Álvaro vencer a GP2 e provar que estavam enganados. A força ganha-se com poder financeiro ou resultados. O Álvaro teve sempre resultados excepcionais mas, temos de ser realistas, o que interessa agora é o que fará na GP2 em 2009, tudo o resto servirá só para suportar um bom CV na altura de aceder à F1.

A Super Nova tradicionalmente era uma equipa boa (meio da tabela para cima) mas talvez com a introdução do novo carro e muito investimento por parte dos concorrentes, fez com que em muitos GP ficassem muito aquém do esperado. Lembro também que em 2008 quando completamos o budget tínhamos unicamente 4 equipas disponíveis e esta foi a melhor opção. Não há só o problema de budget mas principalmente de disponibilização do mesmo que como deve perceber, não depende de nós. Fica a confidência que perdemos a I Sports por um mês.

Abraço,

Pedro Moreira dos Santos

7 Respostas

  1. Obrigado Pedro pela disponibilidade demonstrada, fico à espera das respostas do Varinho😉

  2. Obrigado Pedro Moreira dos Santos pela sua resposta! Espero que esse “vai haver uma boa surpresa…” se concretize, com sucesso, rapidamente.

    Abraço

  3. Muito interessante.Obrigado Sr.Pedro Moreira dos Santos,assim parece que estamos mais proximos do Alvaro, e da equipa que o gere.Os meus agradecimentos ,e ficamos todos a torcer pela boa surpresa.
    Abraços. ( Alvaro força de vencer)
    Jose neves

  4. É pena essa questão de orçamento não dar mesmo para fazer a gp2asia até porque a gp2 não tem muitos testes ou seja o Álvaro vai estar muito tempo sem competir até porque segundo o próprio não vai entrar em outras competições devido a que a F1 e a gp2 não gostarem de competição de outras fórmulas. O Álvaro, a meu ver bem, prefere prevenir e não causar problemas (que o possam prejudicar na sua chegada à Fórmula 1) mas, o que não deixa de ser verdade, é que vai entrar num vazio competitivo.
    O importante é arranjar um carro competitivo para 2009 para a main series.

    Tudo de bom e obrigado pelo esclarecimento. Cumprimentos

  5. ao pedro santos deixo o meu muito obrigado pela disponibilidade e simpatia,e aos criadores deste blog os meus parabens por esta fantastica iniciativa.não sabia que o alvaro parente ja tinha esse impacto junto das empresas acerca daquela questão de não terem noticiado a vitoria em barcelona e a questão da bandeira.são iniciativas como as deste blog que irão tornar possivel vermos novamente um piloto portugues na formula 1.

  6. Mais uma ves o meu agradecimento pela brevidade e interesse demonstrado nas respostas.

    João Cadaval

  7. Estupidamente escrevi ves em vez de vez! Era só para corrigir.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: