Álvaro Parente renova com a McLaren

Álvaro Parente renovou o seu contrato com a McLaren GT, estando escalado pela estrutura de Woking para tomar parte num campeonato de alto nível numa das equipas que utilizarão o carro que ajudou a desenvolver ao longo de 2011 – o MP4-12C GT3.

O jovem português foi uma das pedras basilares da evolução do mais recente Grand Turismo de competição oriundo de Woking, tendo assumido, juntamente com os seus colegas de equipa, um longo e proveitoso trabalho de afinação do McLaren que permitirá aos clientes do construtor britânico ter nas suas mãos um poderoso argumento para se baterem pelas vitórias nos grandes palcos mundiais

O seu desempenho ao longo de 2011 foi o suficiente para que o seu contrato com a McLaren GT fosse renovado, o que lhe permitirá este ano disputar um campeonato de alto nível ao serviço de uma das equipas que terão à sua disposição o MP4-12C GT3. “Ter aceite o ano passado o convite do Martin Withmarsh, que me tem vindo a acarinhar desde o início deste projecto, foi a melhor decisão que eu podia tomar e 2011 foi fantástico, uma vez que pude conhecer a forma de trabalhar de uma estrutura desta envergadura e dar o meu contributo para que, em equipa, possamos evoluir”, começou por dizer Álvaro Parente, que acrescentou com entusiasmo: “Trabalhar na McLaren GT é um privilégio e a renovação do meu contrato é a prova cabal de que o meu trabalho no desenvolvimento do nosso carro foi reconhecido. 2012 prefila-se como outro ano cheio de desafios, estando garantido que irei disputar uma competição com as cores de uma formação que utilizará o nosso carro, não estando, para já, definida qual. Para além disso, estarei envolvido no programa de testes e ao serviço da McLaren para todas as situações que possam surgir”.

Com o início da temporada ainda a alguns meses de distância, o piloto do Porto terá uma pré-epoca bastante ocupada, com uma rigorosa preparação que visa alcançar a primeira corrida na melhor forma possível. “Sabemos que teremos uma forte oposição, seja qual for a competição em que entraremos, portanto, estamos a trabalhar arduamente para que possamos explanar o nosso potencial assim que entrarmos em pista. O McLaren MP4-12C GT3 está cada vez mais competitivo e estou confiante de que bater-nos-emos pelos primeiros lugares em qualquer campeonato”, conclui com confiança Álvaro Parente.

Para além do piloto português, a McLaren GT garantiu igualmente a contratação Alexander Sims – colega de equipa de António Félix da Costa em 2011, ano em que lutou pelo título de GP3 – e Rob Bell – protagonista nas provas de GT ao longo dos últimos anos – o que demonstra bem o cuidado que os homens de Woking estão a colocar no futuro deste projecto.

5 Respostas

  1. Boas notícias, cá ficarei à espera para acompanhar as corridas, e que este ano traga muita sorte para o Álvaro.

  2. Força Parente!
    Pode ser que seja “destacado” para a ASM.

    Mais uma vez, equipa Portuguesa, com piloto portugues = Vitórias!!!

    Abraço

    • Seria uma opção interessante, mas não sendo grande a experiência da ASM em GTs, não creio que a McLaren opte por essa equipa. Deverão estar mais orientadas para outras equipas. Quicá, britânicas.

      Seja como for, o Álvaro, apesar de tudo, gostou bastante de 2011 a nível competitivo, apesar de pouco ter corrido. Isso quer dizer que opção que tomou, sem dúvidas.

      • Amigo Nuno;

        Permita-me discordar.
        Uma equipa que ganha a LMP2 nas 24 du mans não é amadora.
        A ASM tem um longo e rico palmarés no desporto automovel nacioanl e internacional.
        É talvez a mais profissional equipa Portuguesa do momento.
        Senão deite uma olhadelha ao palmarés, mesmo em GT’s:

        http://asm.co.pt/competicao/os-resultados/vitorias/

        Abraço Nuno

      • Não queria abrir aqui um foco de discussão alargada, mas creio que concordamos que o campeonato de Espanha de GT2, não sendo um mau campeonato, não estará ao nível de um campeonato mundial (FIA GT1, FIA GT2, etc), ou até de outros campeonatos nacionais. Além do mais, o programa que tinham no GT Espanha foi sempre secundário, que eu saiba. Mais do que isso, o currículo da ASM em GTs é relativamente curto, em especial se compararmos com outras equipas com outras equipas (salta me o nome da “AF Corse”).

        Mas o mais importante que queria passar com o meu comentário anterior é que não me parece que a McLaren opte pela ASM, optando por outras equipas, mais provavelmente inglesas. O facto da ASM ser portuguesa poderia ajudar à colocação do Álvaro, mas ele terá companheiros de equipa que têm outras nacionalidades.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: