Álvaro Parente mostra serviço no Le Mans Series

Álvaro Parente protagonizou uma excelente estreia no Le Mans Series, ao garantir o quinto lugar na competitiva classe GT2 nos 1000Km de Hungaroring, depois de ter conquistado a pole-position na qualificação da manhã.

A estreia competitiva do jovem português na mais importante competição de resistência da Europa não podia ter corrido melhor, uma vez que o piloto convidado pela AF Corse assinou a melhor marca na qualificação matinal entre os GT’s, sublinhando uma vez mais o seu imenso talento num campeonato que desconhecia por completo. “Foi muito bom ter realizado a pole-position dado que, desta forma, pude retribuir à equipa a confiança que depositou em mim. O carro, muito embora não estivesse perfeito, permitiu-me atacar e, assim, foi mais simples encontrar aquela volta, afirmou o jovem que lidera o Campeonato de España GT e já venceu este ano na Superleague Formula by Sonangol.

Álvaro Parente esperava uma corrida difícil, uma vez que, com a necessidade de deixar passar constantemente os velozes protótipos, seria um exercício bastante diferente daquele a que estava habituado. Para além disso, o talentoso piloto luso tinha como tarefa ajudar Giancarlo Fisichella, Jean Alesi e Toni Vilander a vencer a corrida deste domingo, uma vez que este trio, ao volante do outro Ferrari F430 GT da AF Corse, está embrenhado na luta pelo título. “Tal como planeado, no arranque deixei passar o Fisichella, mas o Mullen aproveitou e também me suplantou. Daí em diante, entreguei o carro ao Barba sempre no terceiro posto, mas alguns azares com o Safety-Car e um Drive-Through – dado o meu colega de equipa ter usado uma chicane para efectuar uma ultrapassagem – atirou-nos para o quinto lugar final”, afirmou o português que esteve mais de três horas aos comandos do Ferrari F430 GT # 96 equipado com o banco de Álvaro Barba, o que deixou as suas costas em muito mau estado.

Depois de ter alcançado a pole-position e ter demonstrado que tem andamento, consistência e talento para poder ombrear com os melhores da competição e lutar pelas posições do pódio, Álvaro Parente faz um balanço muito positivo desta sua estreia no Le Mans Series. “Antes de mais, gostaria de agradecer à AF Corse pela oportunidade que me proporcionou. Foi fabuloso estar integrado numa equipa com o profissionalismo da formação que coloca oficialmente os Ferrari neste campeonato. O Le Mans Series pode ser uma opção para o futuro, mas agora preciso concentrar-me na próxima prova que tenho, que será realizada em Adria, onde terá lugar a próxima etapa da Superleague Formula by Sonangol”, concluiu o jovem português.

Advertisement

Parente é 5º em Hungaroring

Álvaro Parente teve uma estreia positiva na Le Mans Series, com a conquista da Pole Position e do 5º lugar na sua classe (GT2) logo a seguir ao principal carro da AF Corse, pilotado por Fisichella, Alesi e Vilander. Parente fez dupla com Alvaro Barba, rodando sempre nos primeiros lugares.

Mais informações logo que possível.

Álvaro Parente estreia-se com pole-position

Álvaro Parente provou esta manhã, uma vez mais, o seu inegável talento e garantiu a pole-position da classe GT2 para os 1000Km de Hungaroring.

A AF Corse, depois de o ter convidado para partilhar com Álvaro Barba os comandos de um dos seus Ferrari F430 GT, reforçou a sua confiança no jovem português ao dar-lhe a responsabilidade de qualificar o carro 96 na qualificação desta manhã.

A resposta de Álvaro Parente dificilmente poderia ter sido melhor, dado que alcançou a pole-position da classe GT2 na sua estreia no Le Mans Series, superiorizando-se aos especialistas da categoria.

Os 1000Km de Hungaroring terão o seu início às 15 horas, contando com transmissão em directo da ponta final no Eurosport a partir das 20h30, esperando-se que o talentoso piloto oriundo do Porto possa frisar novamente o seu potencial.

Le Mans Series – Qualificação –GT2

1 AF Corse Ferrari F430 GT PARENTE Alvaro 1min 46.535 s
2 AF Corse Ferrari F430 GT FISICHELLA Giancarlo 1min 46.684 s
3 CRS Racing Ferrari F430 GT KIRKALDY Andrew 1min 46.950 s
5 AF Corse Ferrari F430 GT RUSSO Matias 1min 47.157 s
6 JMW Motorsport Aston Martin V8 Vantage TURNER Darren 1min 47.226 s
7 Hankook Team F. Ferrari F430 GT FARNBACHER Dominik 1min 47.369 s
8 Prospeed Competition Porsche 997 GT3 RSR WESTBROOK Richard 1min 47.518 s
9 Team Felbermayr P. Porsche 997 GT3 RSR LIETZ Richard 1min 47.526 s
10 IMSA Performance M. Porsche 997 GT3 RSR PILET Patrick 1min 47.551 s
11 Team Felbermayr P. Porsche 997 GT3 RSR DUMAS Romain 1min 47.705 s
12 Spyker Squadron Spyker C8 Laviolette GT2 – R CORONEL Tom 1min 47.800 s
13 CRS Racing Ferrari F430 GT QUAIFE Phil 1min 48.039 s
14 Team Felbermayr P. Porsche 997 GT3 RSR SEEFRIED Marco 1min 49.977

Álvaro Parente recupera até aos pontos

_3GD9710

Álvaro Parente alcançou hoje na segunda corrida de GP2 do programa do Grande Prémio de Fórmula 1 da Hungria um bom sexto lugar, conquistando mais um ponto para o campeonato.

Tal como esperado, devido à impossibilidade de ultrapassar no circuito de Hungaroring, os primeiros momentos da prova seriam preponderantes e, apesar de não ter subido na classificação logo no arranque, o piloto português ascendeu ao sexto posto ainda durante a primeira volta, depois de Pastor Maldonado ter precipitado um incidente que o atrasou, assim como a Davide Valsecchi, e atirou Davide Rigon para o abandono.

Ao longo das vinte e oito voltas, Álvaro Parente fez sempre parte integrante do grupo que seguiu Giedo van der Garde, o líder, terminando a prova de hoje a menos de três segundos e meio do vencedor e encostado em Javier Villa. “Não era possível fazer muito mais que conquistar o sexto lugar! Tentei passar o Romain Grosjean e o Lucas di Grassi na primeira curva, mas não foi possível e fiquei no nono posto. Acabei por subir três posições devido a um incidente que ocorreu à minha frente e partir daí não consegui ganhar mais nenhuma posição, apesar de ter rodado sempre ao ataque e de estar sempre encostado no Grosjean, primeiro, e no Villa, quando este perdeu posições devido a um erro”, afirmou o piloto apoiado pela Soccerade, Delta, TMN, Aurora Group, Geotur e Cision.

Apesar do ponto conquistado hoje, o jovem da Ocean Racing Technology mostrou-se desapontado com os desfecho deste fim-de-semana, dado que esperava poder lutar pelas posições cimeiras, à semelhança do que aconteceu nas últimas corridas, o que não se verificou em Hungaroring. “Não tínhamos o carro tão eficaz como esperávamos, dado que perdíamos algum tempo no segundo sector. Já estivemos a analisar a telemetria deste fim-de-semana e estou confiante de que a equipa poderá encontrar uma boa solução para Valência”, apontou esperançado Álvaro Parente.

A temporada europeia da GP2 terá agora um interregno de quatro semanas, regressando à actividade em Valência, onde a competição que é considerada a antecâmara da Fórmula 1 voltará a competir num circuito citadino.

Álvaro Parente à porta dos pontos

_3GD1655
Álvaro Parente realizou hoje em Hungaroring uma prova de ataque, terminando no nono lugar depois de arrancar do décimo quarto posto, o que o deixou com a frustração de ter ficado à porta dos pontos.

Esperava-se uma corrida complicada para o jovem piloto da Ocean Racing Technology, dado que o traçado do circuito húngaro não permite realizar ultrapassagens com facilidade. Porém, com o espírito a que sempre nos habituou, Álvaro Parente realizou uma corrida sempre no máximo das potencialidades do seu carro, terminando no nono lugar, encostado em Davide Rigon e em Giedo van der Garde, os dois pilotos que terminaram imediatamente à sua frente.

“Este é um resultado desapontante, dado que fiquei muito perto de alcançar a oitava posição, o que seria uma boa operação, após ter arrancado do décimo quarto posto da grelha de partida. Parti bem e cheguei a nono lugar mas, na segunda curva, para evitar um carro que tinha entrado em pião atrás de mim, tive que ir para a escapatória e desci para o décimo primeiro lugar”, começou por dizer o piloto apoiado pela Soccerade, Delta, TMN, Aurora Group, Geotur e Cision, que continuou: “Neste circuito é muito complicado para ultrapassar, mas com a boa decisão da equipa em realizar cedo a minha paragem nas boxes e com a ultrapassagem que efectuei a Dani Clos, consegui subir ao nono posto. Fiquei na traseira do Davide Rigon e dei o máximo para tentar suplantá-lo. No entanto, ele não cometeu qualquer erro e terminei a uma posição de conquistar um ponto e de garantir a pole-position para amanhã”.

Para a corrida de amanhã Álvaro Parente alinhará no nono posto da grelha de partida, o que não lhe promete uma corrida fácil. Contudo, a três lugares das posições pontuáveis, o jovem de vinte e quatro anos garante que tudo fará para somar mais alguns pontos ao seu pecúlio. “Sei que terei uma segunda corrida complicada, mas vou, como sempre, dar o meu melhor de modo a poder garantir um bom resultado. O arranque será extremamente importante, dada a natureza deste circuito, e esta será a minha preocupação prioritária de modo a poder intrometer-me na luta pelos seis primeiros lugares”, conclui esperançado o piloto do Porto.

A prova de amanhã terá o seu início às 9h30m, hora de Lisboa, e será transmitida em directo pela Sport TV2.

Qualificação difícil para Álvaro Parente

_MG_8775

Álvaro Parente teve uma qualificação difícil para a primeira corrida de GP2 do programa do Grande Prémio de Fórmula 1 da Hungria, não indo além do décimo quarto lugar da grelha de partida devido ao tráfego em pista.

A natureza sinuosa do circuito húngaro acabou por jogar contra o jovem português, dado que, foi prejudicado por uma bandeira vermelha com o seu primeiro jogo de pneus e com o segundo teve sempre carros à sua frente, o que o impediu de materializar o seu andamento no resultado que estava ao seu alcance, como demonstra o quinto registo que assinou na sessão de treinos-livres da manhã, apesar de um problema eléctrico o ter obrigado a parar o seu carro em plena pista.

Álvaro Parente chegou a deter o sexto tempo da tabela, ao realizar uma boa marca com o seu primeiro jogo de pneumáticos, mas uma bandeira vermelha – provocada pelo incidente que evolveu Romain Grosjean e Fanck Perera – e o tráfego, catalisado pela competitividade do plantel da GP2, acabaram por o atirar para o décimo quarto posto final.

Este é um resultado que não agrada ao piloto da Ocean Racing Technology, que, ainda assim, ficou a menos de um segundo do tempo que deu a pole-position a Lucas di Grassi. “Esta foi uma qualificação muito complicada. O carro perdeu alguma eficácia com a subida da temperatura do asfalto, mas pior que isso foi o tráfego e a bandeira vermelha logo no início da sessão. Dei sempre o meu máximo, mas na volta em que estava a ser mais rápido apanhei um piloto na última curva, o que me impediu de melhorar a minha marca” sublinhou o piloto apoiado pela Soccerade, Delta, TMN, Aurora Group, Geotur e Cision.

Num circuito em que as ultrapassagens são extremamente difíceis, prevê-se uma corrida bastante complicada para o português, muito embora se espere que, como é seu apanágio, realize mais uma exibição estóica e que, ajudado por uma boa estratégia, alcance um bom resultado. “Não será fácil obter uma boa classificação em Hungaroring, dado que aqui é preponderante ter uma boa posição na grelha de partida. No entanto, espera-se que amanhã esteja mais fresco, o que nos permitirá replicar o bom andamento que evidenciámos nos treinos-livres. Se isto se verificar, poderemos, com a ajuda de uma boa táctica de corrida, alcançar os pontos”, salientou com confiança Álvaro Parente.

A prova de amanhã terá o seu início às 15 horas, hora de Lisboa, e será transmitida em directo pela Sport TV1.

Uma volta com Álvaro Parente em Hungaroring

Como se avizinha mais um fim de semana de GP2 e à semelhança do que temos feito nos dias antes da corrida, trazemos a todos vós mais uma vez a rúbrica “Uma volta com Álvaro Parente”.

Desta vez a caravana da GP2 desloca-se até ao traçado húngaro, Hungaroring. É um local onde o Álvaro não tem sido muito afortunado,  mas onde tem no próximo fim de semana uma excelente oportunidade de rubricar boas exibições e trazer um bom resultado para casa.

Mais uma vez vamos usar um videojogo chamado rFactor com o “mod” de GP2. A equipa do blog agradece ao Ricardo Ferreira pelo trabalho desenvolvido na “skin” da ORT e agradecemos também à própria ORT por nos ter dado autorização para utilizar o design do carro.

Aqui fica uma volta com Álvaro Parente em Hungaroring:

Para uma melhor visualização veja o vídeo em “full screen”.