Testes em Paul Ricard – Resumo da ORT

A Ocean Racing Technology completou esta sexta-feira o terceiro e último dia de testes em Paul Ricard, França, naquele que foi o primeiro ensaio colectivo de preparação para a Main Series da GP2. Para Karun Chandhok e Álvaro Parente este foi o primeiro contacto com o monolugar da Ocean e com a equipa técnica. Os pilotos rodaram de forma intensa para recolher o maior número de dados possível. Dave Ward, Team Manager da formação portuguesa, sublinha que os dados recolhidos são muito importantes e que ainda há muita coisa a fazer antes da primeira corrida, mas mostra-se satisfeito com a competitividade dos dois monolugares e com a atitude dos dois pilotos que tiveram a difícil missão de testar no circuito francês afinações para outros traçados do campeonato:

“Foram 3 dias de muito trabalho e em que quase não dormimos porque não havia tempo a perder. Experimentámos várias soluções e recolhemos dados importantes. Vamos continuar a trabalhar mas deu para perceber que estamos competitivos. A configuração da pista mudou todos os dias e o setup dos carros também, pelo que é complicado perceber onde é que cada equipa está em termos de competitividade. Mas seguramente estamos no bom caminho,” assegurou Dave Ward.

Karun Chandhok esteve focado na evolução do carro, pelo que estes três dias exigiram concentração e alguma paciência para encontrar a afinação ideal. O indiano que estará esta temporada ao serviço da Ocean realizou dezenas de voltas e garante que haverá diferenças visíveis no próximo teste:

“Estes três dias de teste permitiram retirar muitos dados. Sei que em Barcelona vamos ser ainda mais competitivos, mas mesmo assim o que conseguimos em Paul Ricard já foi muito bom para uma equipa acabada de formar. O meu objectivo é estar mais rápido no início do campeonato e tenho a certeza que isso vai acontecer,” disse Karun Chandhok.

Alvaro Parente também faz um balanço positivo do trabalho realizado. O piloto português que acabou de assinar com a Ocean, aproveitou estes três dias para conhecer a equipa e, a par de Karun Chandhok, começar a evolução do projecto para a temporada de GP2:

“Temos vindo a desenvolver o carro no bom sentido, a traseira já está a meu gosto, falta apenas trabalhar um pouco mais a frente, que ainda foge em demasia. Estou confiante de que no teste de Barcelona poderemos continuar a evoluir até encontrarmos uma solução próxima da perfeição. Este foi o início da minha relação em pista com a Ocean e, na minha opinião, correu de uma forma muito positiva. Senti-me muito bem-vindo pela equipa e desenvolvemos um bom trabalho que espero venha a ser frutuoso no futuro. Porém, é preciso ter presente de que é uma equipa nova, em fase de construção, e que ainda não alcançou a totalidade do seu potencial. Ainda assim, temos já uma boa base de trabalho o que me deixa confiante”, assegurou Álvaro Parente.

Este teste foi também a primeira vez que a equipa portuguesa mostrou as cores e a imagem da Ocean, onde predominam o azul e o preto. A Ocean Racing Technology regressa à pista nos dias 23, 24 e 25 de Março em Barcelona, Espanha, para o último teste colectivo antes do início da Main Series da GP2.

press release e imagens gentilmente cedidos pelo 16Válvulas
Advertisement